Resenha: Os Lusíadas



Título: Os Lusíadas
Autor: Luíz de Camões
Editora: Nova Cultural
Páginas: 398



“Com centro na narrativa da viagem de Vasco da Gama até as Índias, Camões conta nesta epopéia a história do povo português, utilizando-se da estrutura clássica do poema épico. "Os Lusíadas" é, acima de tudo, uma declaração de amor de Camões à sua adorada terra lusitana.” 

Esse foi um livro que me deixou com certa ressaca literária. Acabei dedicando mais tempo e esforço a essa leitura do que havia planejado. 

"Os Lusíadas" narra as aventuras marítimas de Vasco da Gama e seus companheiros em uma busca pelas Índias. É uma obra poética, inteiramente escrita em versos e dividida em 10 cantos. Luiz Vaz de Camões alcançou a perfeição poética escrevendo 1102 estrofes com oito versos decassílabos. Imagine escrever 8816 versos com exatamente dez sílabas poéticas cada um, deve ter sido um trabalho e tanto! E pra complicar mais ainda, as estrofes seguem um padrão de rimas no formato AB AB AB CC, que em momento algum é quebrado. 



"No mar tanta tormenta e dano,
Tantas vezes a morte apercebida!
Na terra tanta guerra, tanto engano,
Tanta necessidade aborrecida!
Onde pode acolher-se um fraco humano,
Onde terá segura a curta vida,
Que não se arme e se indigne o Céu sereno
Contra um bicho da terra tão pequeno?" 
(Canto I - Estrofe 106)

Logo no início da obra, já se encontra algo inusitado: dois documentos anexos antes do primeiro canto. O primeiro, "Alvará Régio da Edição de 1572", é  uma liberação para publicação da obra e proibição de venda sem permissão. O segundo, "Parecer do Censor do Santo Ofício na Edição de 1572", é o aval da inquisição para divulgação da obra. Essas informações nos trazem uma visão mais ampla do contexto em que o livro foi escrito, nos situando, de certa forma, no ambiente.  

O enredo não se detém apenas no mar, a história de Portugal é contada através de relatos dos personagens. Durante todo o tempo, o povo português é louvado e aclamado. Grandes feitos são descritos na voz de um narrador que se diz o mais realista possível. 

Apesar do cristianismo português daquela época, a presença da mitologia greco-romana é constante, os deuses interferem em vários pontos nos acontecimentos e o próprio autor invoca as ninfas em busca de inspiração. Até no documento de liberação dado pela inquisição esses deuses são citados, mas são considerados “demônios”.  

"Toda via como isto he Poesia & fingimento, & o Autor como poeta, não pretende mais que ornar o estilo Poetico não tivemos por inconveniente yr esta fabula dos Deoses na obra, conhecendoa por tal, & ficando sempre salva a verdade de nossa sancta fe, que todos os Deoses dos Gentios sam Demonios."

Para se entender o conteúdo, é fundamental lembrar que o texto deve ser lido obedecendo a pontuação e não as quebras de linha. Dando um efeito mais corrido, mais fluido. Não é algo que eu recomende para passar o tempo, para uma leitura de fim de semana. É uma obra que exige dedicação. Esse é um livro para ser lido com calma. Meu conselho é não abrir mão de uma edição com notas, para ir analisando o significado de cada expressão. Conhecer um pouco da história de Portugal e de mitologia greco-romana também ajuda muito na compreenção.  

"Porque o amor fraterno e puro gosto
De dar a todo lusitano feito
Seu louvor, é somente o pressuposto
Das Tágides gentis, e seu respeito;
Porém não deixe enfim de ter disposto
Ninguém a grandes obras sempre o peito,
Que por esta ou por outra qualquer via,
Não perderá seu preço e sua valia."
(Canto VII - Estrofe 100)

Beleza poética incrível, enredo compreensível e belas histórias. A obra prima da literatura portuguesa.

11 comentários:

  1. A história é interessante, mas um pouco cansativa... Bem que dizem... às vezes a beleza tbém cansa!

    ResponderExcluir
  2. Oi Jaqueline... concordo contigo... foi bem cansativa mesmo, mas valeu a pena :)

    Bjinhos

    ResponderExcluir
  3. Confesso que é um livro que tentei ler inúmeras vezes e me irritei kkkkkkkkkkkkkk =x é uma obra prima, but não é pro meu bico... kkk
    beijos

    Amy - Macchiato

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Amy... Faltou pouco pra mim abandonar a leitura também (Jogos Vorazes na estante me chamando \o/), mas eu sou bem teimosa quanto se trata de terminar livros!

      Bjinhos

      Excluir
  4. Eu ja conhecia esse livro, mas nunca li pq ele parece ser com uma linguagem difícil e complicada. Tenho interesse só me falta tempo e dedicação.

    Bjus, @dnisin
    http://diamanteliterario.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A linguagem é um pouco difícil sim, mas não é tão complicado de entender a história...

      Beijos :)

      Excluir
  5. Bom eu quero ler..e não vou achar tao dificil pois já li a odisseia, a iliada e a divina comédia então este dai vai ser facinc facin... só me deu mais vontade de ler ^^

    parabéns bejin

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu comprei A Divina Comédia ontem! \o/
      Quero ler todos os que você citou :)

      Abraços

      Excluir
  6. Tigerlily and cyanide2 de setembro de 2012 01:31

    Tenho interesse nesse livro há muito tempo, mas acho que me falta maturidade literária... Esse post esclareceu algumas coisas para mim, mas ainda assim não me sinto preparada. :x
    Boa resenha, de qualquer forma! (:

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tente começar a ler, com o tempo você vai se adaptando a leitura.

      Obrigada... :)

      Abraços

      Excluir
    2. Tigerlily and cyanide2 de setembro de 2012 03:21

      Ah, com certeza lerei assim que tiver um exemplar em mãos... E tenho certeza de que vou gostar da leitura! o/

      Excluir

Não deixe de dar sua opinião sobre o post.
Adoro saber o que vocês estão achando.
Prometo responder sempre que possível.
Beijinhos!!!


Delírios Lúcidos - 2013. Todos os direitos reservados - Design by Flavia Penido.
Tecnologia do Blogger.

Delírios Lúcidos